sábado, 12 de março de 2011

Lua vazia ou fora de curso

O que é Lua vazia?


Conceito cuja infeliz tradução ao português adotou o nome “Lua fora de curso”, é o período em que a Lua não se relaciona com outros planetas do sistema solar até ingressar no próximo signo, e reiniciar a sua bateria de relacionamentos planetários.

O termo vazio não significa que a Lua deixe de brindar com alguma informação, mas sim que a informação oferecida é altamente subjetiva, dado ela não provir dos planetas próximos, mas dos confins do infinito.

A perspectiva de relacionamento da Lua com os planetas de nosso sistema solar promove a objetividade e a realização concreta.

A falta de perspectiva dos relacionamentos lunares com os planetas evoca a informação do vazio, profundamente subjetiva.

É por essa razão que as pessoas mais negativamente afetadas pelos períodos de Lua vazia são aquelas teimosas que insistem em fazer de conta que a parte valiosa da existência só reside na objetividade, deixando a subjetividade para as mulheres, as crianças e os poetas.

A Lua vazia é inútil para os empreendimentos concretos, mas extremamente funcional para as experiências subjetivas, onde se renda culto ao infinito universo.


       O que fazer quando a Lua estiver vazia?      
  • Convencer-se de que, ao contrário do que parece, você não é engrenagem de máquina, que possa ligar-se e desligar-se de acordo com horários estipulados arbitrariamente.
  • Convencer-se de que, participar do cosmos é, também, participar de todos seus ciclos, de fluxo e refluxo, objetividade e subjetividade, de euforia e recolhimento, submissão e liberdade, e isso só para listar os mais reconhecíveis.
  • Convencer-se de que a saúde e bem-estar físicos e emocionais dependem de alternarem-se, o mais sabiamente possível, os períodos de produção objetiva com os de recolhimento subjetivo.
  • Os períodos de Lua vazia são, eminentemente, propícios ao recolhimento subjetivo, e se acontecerem no meio da semana “útil” melhor será que você comece a considerar o descanso útil também.
  • Nenhuma instituição, governamental ou comercial, está preparada para deixar você descansar no meio do período de trabalho, pelo que fica ao critério de sua criatividade inventar uma forma de continuar fazendo parte da máquina institucional sem no entanto forçar a barra, tentando agir como se você fosse uma máquina.
  • O recolhimento subjetivo pode ser praticado por meio de inúmeras tarefas: rezar, meditar, estudar, conversar despreocupadamente, distrair-se, vigiar os pensamentos para que esses não produzam ansiedade, limpar gavetas e jogar fora papéis velhos, etc.
  • Quando num período de Lua vazia você perceber que seu nível de irritação aumenta demais, isso acontece por você teimar em querer fazer com que algo dê certo num momento inútil. Você é livre para esbaldar-se nesse fogo estúpido que é a irritação, mas isso não fará de você uma pessoa melhor, nem mais feliz.
  • Se você, inadvertidamente, tiver marcado compromissos importantes num período de Lua vazia, mais uma oportunidade para praticar a despreocupação. Cumpra a sua obrigação desapegadamente, sem esperar que ela dê resultados concretos.
  • É sábio, durante a Lua vazia, evitar dar início a atividades das quais se espere colher resultados concretos e definidos.
  • Se, durante uma Lua vazia, você desesperar, respire fundo várias vezes, pois esse estado de ânimo é artificial, só vale o quanto você acreditar nele.
  • Normalmente, é nos períodos de Lua vazia que as pessoas agridem às outras de forma gratuita pelo que, você que sabe a razão disso acontecer, evite responder à agressão, desintegrando-a com a indiferença.
  • As boas idéias que você tiver durante a Lua vazia precisam ser repensadas em outro momento para conferir a sua eficiência.
  • Confusões, esquecimentos e desentendimentos de todo tipo acontecem durante a Lua vazia, pois essas condições são formas de o cosmos informar que o período não serve para sustentar a objetividade, convidando você a retirar-se dela.
  • Boatos de todos os tipos circulam durante a Lua vazia, pois os humanos, quando nervosos, falam de diversos assuntos com a propriedade de peritos, mas só o fazem motivados pela tola ansiedade. Confundem opinião com perícia. Opinião é como boca, todo mundo tem pelo menos uma.



 http://www.astrologiareal.com.br/(ivs1gsz54rqcrvflihlbziel)/almanaque/oque.aspx

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário